Notícias

Demis Roussos

Walter Júnior, um dos maiores investidores do país nesta nova modalidade de negócio

Finanças

09 de janeiro de 2019 às 10h00

Clube de investidores oferece nova oportunidade de negócios

Em tempos de revolução tecnológica, novos mercados vão surgindo com uma velocidade espantosa. No mercado financeiro, esse movimento tem sido ainda mais contundente. Os grandes bancos, por exemplo, já veem com preocupação o crescimento das fintechs, startups financeiras. Na mesma medida, novos modelos de negócios ganham espaço no mercado.

É o caso do grupo de investimento Trader Clube Intelligent Business. Formado por investidores focados no empreendedorismo digital, o negócio garante qualidade de vida, liberdade de horários para trabalhar com auxílio da internet e independência financeira. O negócio garante um retorno de até três vezes o valor investido.

A Trader Clube está há dois anos atuando no mercado de commodities - matéria-prima oriunda basicamente do setor primário e que são negociadas nas bolsas de valores. As estratégias são muito semelhantes às adotadas no mercado financeiro tradicional. O aporte inicial é de US$ 300,00, R$ 1.100,00 aproximadamente. 

"No Trader Clube não há a promessa de rendimento mensal, ela tem o compromisso de triplicar o capital investido, com muito mais segurança. Assim como na Bolsa de Valores, há os riscos, lógico, mas são mínimos”, explica o potiguar Walter Júnior, um dos maiores investidores do país nesta nova modalidade de negócio. 

O negócio começou em Natal, conquistou a parceria da empresa Sigma Soluções Tecnológicas e ganhou o mundo. Hoje, o grupo de Walter conta com investidores no Brasil, Rússia, Itália, Portugal, Vietnã, Colômbia, Paraguai, Peru, Espanha, Japão e Equador.

Segurança
Transparência nas transações, vinculação ao mercado financeiro tradicional e garantia de um banco de obrigações contratuais (através de Carta de Fiança) são pilares que sustentam a segurança do modelo de negócio oferecido pela Trader Clube. Apesar disso, Walter indica o negócio a investidores que entendem ou querem aprender o negócio. “Quem chega querendo apenas colocar dinheiro, eu não indico”, afirma.  

A segurança de ser operado no mercado financeiro tradicional e de poder virar uma corretora, dão sustentabilidade ao negócio. “A Trader Clube tem o diferencial, além de pagar bem, por ter um caixa gordo, conta com uma banca grande e com o lucro da corretora. No mundo todo, nenhuma empresa nesse segmento, por exemplo, conseguiu virar corretora, ou porque os donos não tiveram a visão para tal ou porque não tiveram tempo de fazer isso. E a Trader Clube está aí há dois anos, com robustez, hoje ela tem rentabilidade nas operações, e nas taxas que a corretora ganha como spread, mark-up entre outras formas de ganhos, já que ela virou corretora recentemente”, destaca Walter.

 

TRADER CLUBE

O que é?
É um grupo formado por pessoas com visão ampla, focada no empreendedorismo digital. Somos um clube de investidores que busca juntos proporcionar independência financeira, maior qualidade de vida e liberdade de horários para todos os nossos.

O que oferece?
A resposta está no uso da “margem” para operar, um mecanismo que permite negociar um volume maior de dinheiro aplicando apenas uma parte. Como a transação é liquidada apenas pela diferença entre as avaliações de diferentes moedas, não é necessário que o investidor tenha disponível o montante total dos recursos envolvidos na transação.

 

Revista Negócios

TV NEGÓCIOS

Executiva cria nova campanha para o Detran/RN