Notícias

Demis Roussos

Equipe da Guerreiro Costa Marques Advogados e Consultores

Serviços

08 de janeiro de 2019 às 10h00

Planejamento tributário e gestão disruptiva potencializa desempenho empresarial

Quebrar paradigmas e atuar com prevenção. Este é o lema do escritório de advocacia Guerreiro Costa Marques Advogados e Consultores, que já introduziu no mercado potiguar o modelo inovador de consultoria, atuando diretamente no planejamento e gestão do cliente. Principalmente, no Direito Tributário, “prevenir é sempre melhor do que remediar”, costuma dizer Rodolfo Guerreiro, um dos sócios do escritório. Mas, apesar da regra simples, as empresas geralmente não a segue ou por desconhecimento ou por falha na gestão. Para o advogado, só uma administração disruptiva e um acompanhamento jurídico-tributário perene são capazes de manter uma empresa na legalidade, cumprindo com as obrigações. 

“Hoje, deve haver disrupção. A forma de gestão tem que mudar. O novo mercado já exige que as empresas sejam disruptivas. Há a necessidade de quebrar processos antigos, ultrapassados, para inovar, com processos modernos”, explica Guerreiro. “Nossa intenção é colaborar com a gestão da empresa. Se houver um acompanhamento da empresa dia a dia, mês a mês, ano a ano, consegue-se evitar problemas, ser preventivo e não reativo. O fundamental é que toda a contabilidade seja auditada para que o planejamento patrimonial seja feito”, reforça.

Corroborando com o advogado, Silvio Sousa, especialista em perícia e auditoria contábil da STS Perícias e Auditoria, diz que o ideal é fazer uma auditoria anual, além do acompanhamento da gestão, e que a perícia é fundamental para mensurar os erros. “A auditoria contábil faz uma revisão das demonstrações financeiras, sistema financeiro, registros, transações e operações de uma entidade ou de um projeto, efetuada por contadores, com a finalidade de assegurar a fidelidade dos registros e proporcionar credibilidade às demonstrações financeiras e outros relatórios da administração”, explica Silvio. Além disso, identifica deficiências no sistema de controle interno e no sistema financeiro e apresenta recomendações para melhorá-los.

Perícia
Já a perícia contábil constitui no conjunto de procedimentos técnicos e científicos destinado a levar à instância decisória elementos de prova necessários a subsidiar a justa solução do litígio, mediante laudo ou parecer pericial contábil, em conformidade com as normas jurídicas e profissionais, e a legislação específica no que for pertinente.

“O objetivo da auditoria é identificar irregularidades ou inconsistências contábeis. E quem quantifica isso é a perícia. A perícia mensura, aponta o tamanho da fraude, do ilícito”, define Silvio, que atua em Natal em parceria com o escritório de advocacia Guerreiro Costa Marques Advogados e Consultores.

Ainda segundo ele, para que a empresa não seja surpreendida negativamente em fiscalizações do governo, em qualquer esfera, é necessário investir em tecnologia. 
“Utilizamos ferramentas, softwares de análise criminal, metadados, bigdata. Tudo tem que ter analisado e cruzado nas suas respectivas bases de dados. Não adianta ter somente os dados, sem ter recursos humanos capacitado para extrair informações vitais da empresa”, informa Silvio. Os riscos do negócio podem ser amenizados com estes acompanhamentos. 

Consultoria Multidisciplinar
O investidor que compra uma empresa, hoje em dia, por exemplo, precisa fazer o acompanhamento multidisciplinar, através de uma assessoria jurídico-tributária. “Temos que acompanhar os processos da empresa em todos os cenários, numa tentativa de amenizar os efeitos negativos que possam surgir. Envolvemos neste processo multidisciplinar as áreas jurídica, administrativo, contábil, financeiro, econômico e social”, ensina Guerreiro.

O escritório já recebeu cliente ‘descuidado’ que acabou no prejuízo ao adquirir uma empresa sem o devido acompanhamento multidisciplinar. “Tenho um cliente que não tomou o devido cuidado e na hora de comprar uma empresa foi surpreendido com um cenário negativo. Atualmente, essa empresa está em insolvência plena, falida”, revela Guerreiro. 

Depois de uma minuciosa auditoria, foi descoberto um rombo de R$ 13 milhões. “Mas, o problema foi ainda maior. Neste caso, fizemos uma perícia, com a colaboração da STS, e aqueles R$ 13 milhões passaram para R$ 49 milhões. Ou seja, não havia qualquer meio de fiscalização, compliance, controles. Não havia uma cultura de acompanhamento administrativo a empresa, o que acaba dando margens a esse tipo de situação. No final, depois da perícia, identificamos 17 tipos de crimes diferentes cometidos durante toda a gestão dessa empresa. Aí, já saímos da seara cível e entramos na criminal. Por muito menos, Marcelo Odebrecht foi preso”.

Quando se apura infrações, a empresa é autuada pelo fisco municipal, estadual ou federal, pelo não pagamento ou pagamento incorreto de determinado tributo. “A gente identifica que dentro daquele auto de infração pode haver a ponta de um ‘iceberg’ de um grau de infrações muito maior. Então, auditar é importante. E, às vezes, periciar, também”.

Dívida com o Fisco
Casos corriqueiros de empresas que não tem um acompanhamento perene de uma consultoria jurídico-tributária ou não contratam auditorias para situações pontuais é pagar mais do que devia ao fisco. Isso acontece, geralmente, pelas constantes mudanças nas ‘regras do jogo’, segundo Silvio e Guerreiro. “A contabilidade, hoje, tem um trabalho muito árduo. Raramente, uma empresa realiza uma atividade contábil-tributária perfeita. Isso porque há uma grande quantidade de normas tributárias, que são alteradas com frequência”, afirmam. 

A ideia é ser eficaz e eficiente. “Esse trabalho de assessoria jurídico-tributária é fundamental. E como nós enfatizamos isso? A primeira coisa que a gente faz com a empresa é a chamada auditoria de recuperação de impostos, municipais, estaduais e federais. E quem faz isso para gente hoje? A STS Consultoria”.

Um estado quebrado, como o Rio Grande do Norte, por exemplo, não vai devolver o dinheiro de um imposto que possa ter sido cobrado irregularmente. Mas, a empresa lesada, de acordo com Guerreiro, pode judicializar assuntos pacificados em tribunais superiores. “A cada cinco anos a Receita Federal faz um encontro de contas e se for constatada qualquer irregularidade, ela vai cobrar o imposto devido”, alerta Guerreiro. As grandes companhias são auditadas três vezes ao ano, ou seja, a cada quatro meses, lembrou Silvio. 

STS Perícias e Auditoria
Com o auxílio de modernos programas de computador e ferramentas, como o Big Data Analytics e Analyst Notebook, a STS CONSULTORIA consegue identificar falhas em processos de gestão, tendências de mercado e novas oportunidades de negócios. “Aplicamos nas empresas as inovações tecnológicas utilizadas pelo mercado financeiro”. A principal diferença trazida pela S.T.S CONSULTORIA é a mudança na visão de cenários e quebra de paradigmas, adotando critérios de tecnologia da inovação e novos modelos de negócios. Indiscutivelmente, a análise de Big Data no setor empresarial é um caminho sem volta no segmento, que tem redesenhado a maneira de pensar os serviços e produtos oferecidos trazendo como benefícios a análise de dados, ganho de mercado, redução de custos e fortalecimento da imagem corporativa. Exemplo disso é a utilizações de Big Data no setor financeiro na detecção de fraudes internas, utilização dos serviços de FINTECHS para renegociação de dívidas bancárias, alteração de fornecedores e planejamento tributário.


Confira alguns serviços oferecidos pela STS Perícias e Auditoria: 
Compliance;
Preservação Patrimonial;
Planejamento Tributário;
Prevenção e Mensuração de Fraudes Contábeis corporativas;
Auditorias e Perícias Contábeis do Direito Penal Econômico e Empresarial.


 

Revista Negócios

TV NEGÓCIOS

Executiva cria nova campanha para o Detran/RN